Uso de aplicativos de saúde aumenta, aponta Kantar

Uso de aplicativos de saúde aumenta, aponta Kantar

Cada vez mais populares no gosto das pessoas, os aplicativos de saúde vêm crescendo com a mesma proporção do avanço tecnológico: desde 2015, o uso desses apps aumentou 25%, segundo uma recente pesquisa realizada pela Kantar. E não só por meio de smartphones, como através de tecnologias de vestir: os chamados gadgets wearables, que cresceram 12,3% no consumo americano - hoje 21% dos adultos nos Estados Unidos relatam possuir um mHealth com a finalidade de monitorar sua saúde. Diversas são as modalidades existentes no mercado, que vão desde dispositivos que ajudam no controle de glicose, pressão arterial e Índice de Massa Corporal (IMC), até os que acompanham o desempenho de corridas, consumo de calorias, quantidade diária de agua, rotinas de alimentação, período menstrual, dentre tantos outros.

O estudo conduzido pela Kantar ao longo de 2017 e 2018 demonstrou que quase metade dos consumidores entrevistados declararam que têm uma opinião positiva sobre as tecnologias usadas para saúde. Porém, quase 60% ainda não estão familiarizados com alguns dos dispositivos mais comuns. “A área de cuidados da saúde está claramente evoluindo em direção a um maior foco no consumidor e estes dispositivos estarão à frente e no centro deste movimento” diz Lynnette Cooke, CEO Global da Kantar Health.

 

Benefícios

Os benefícios que essas tecnologias podem trazer são variados já que, durante décadas, o relacionamento de uma pessoa com a sua própria saúde foi principalmente uma relação de médicos, instituições, hospitais e pagadores firmemente encarregados de tomar uma decisão. Hoje, no entanto, o indivíduo possui cada vez mais controle das decisões e mudanças que pode trazer aos seus hábitos. “A utilização apropriada da tecnologia na saúde pode melhorar os resultados através da prevenção, favorecendo a qualidade e a expectativa de vida. Se atingirmos estes resultados, a necessidade de cuidados médicos e os custos associados cairão e todos no ecossistema de saúde se beneficiarão”, explica Cooke.

Além de serem uma tendência irreversível, os aplicativos para saúde geral e bem-estar auxiliam na coordenação do cuidado do indivíduo. “Estas tecnologias permitem que o paciente tenha um maior poder de gerenciamento da sua rotina, auxiliando, por exemplo, em sua reeducação alimentar para combate ao sobrepeso e colesterol elevado”, analisa Ricardo Fortes, médico analista da Kantar Health Brazil. “Outro benefício é a integração dos dados do paciente, disponibilizando de maneira fácil e acessível informações como carteira de vacinação, resultados de exames e histórico de consultas médicas.

A facilidade de troca de experiências entre usuários de app desta natureza, por meio de redes sociais, é potencialmente útil para melhorar a adesão a tratamentos, cultivar hábitos de vida saudáveis e difundir informações qualificadas sobre determinadas patologias ou condições de saúde, ultrapassando as fronteiras de um hospital ou clínica, por exemplo”.

 

Uso paralelo ao profissional da saúde

No Brasil, o médico analista da Kantar Health Brazil, Tobias Engel utiliza e recomenda um aplicativo em suas consultas. “Através do app em nossa clínica, conseguimos sanar dúvidas simples e pontuais do paciente que na grande maioria são passiveis de respostas via e-mail ou telefone, auxiliando assim a aproximação médico-paciente. Já nas dúvidas mais complexas ou em casos de alerta, nós conseguimos orientá-lo a ir ao pronto-socorro, por exemplo”, declara.

Ou seja, apesar das facilidades do dia a dia, tais tecnologias devem ser usadas em paralelo com o cuidado real e presencial da saúde. “É importante ressaltar que estes aplicativos não substituem a consulta e orientação provenientes de um profissional, como um médico ou nutricionista. Além disso, é necessário verificar com cautela a fonte e confiabilidade das informações oferecidas por estes app”, orienta Fortes.

Com o avanço cada vez maior dessas tecnologias, quem conseguir aliar saúde e conectividade, vide a preocupação que as pessoas estão tendo cada mais voltadas em melhorar seus hábitos de vida, só tende a ganhar, inclusive as empresas que já têm enxergado esse avanço em prol de seus pacientes e clientes, visando assistência médica, informação e bem-estar holístico. Quaisquer entidades que escolhem por ignorar estes desenvolvimentos tecnológicos correm o risco de se tornarem obsoletas. “A pesquisa mostra que existe uma tremenda oportunidade para a tecnologia na saúde esperando para ser explorada, e com ela o potencial para revolucionar o cuidado dos pacientes”, comenta Jennifer Carrea, CEO da Lightspeed Kantar Health Américas. “Sem dúvida o que é preciso é uma educação mais efetiva dos pacientes e dos médicos para assim, uma melhor integração desses dispositivos nos planos de tratamento”.

 

Fonte: Kantar Health, Kantar

Filtrar
Newsletter

Assine nossa Newsletter para receber notícias e informações da Evidências.

Veja também