Prevenção contra o HPV é importante não só no carnaval, mas durante o ano todo

Prevenção contra o HPV é importante não só no carnaval, mas durante o ano todo

Cerca de 80% das mulheres sexualmente ativas terão contato com um ou mais tipos do papiloma vírus humano (HPV) ao longo da vida. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva  (INCA), 50% da população mundial masculina está infectada com o vírus. Felizmente, a maioria dessas infecções é temporária, sendo espontaneamente combatida pelo sistema imunológico cerca de 18 meses após o contato.

O vírus do HPV se instala na pele ou na mucosa e é transmitido por contato direto, não apenas pela penetração. Existem mais de 100 tipos diferentes da doença e alguns deles são oncogênicos (isto é, induzem a formação de câncer como o de colo de útero, vagina, vulva, ânus, pênis e até mesmo de garganta - devido ao sexo oral sem preservativo). Atualmente, nos Estados Unidos, a incidência de câncer de boca e faringe causada pelo HPV já é maior do que a de colo de útero induzida pelo vírus. No mundo, é o sexto tipo de câncer, responsável por 230 mil mortes de acordo com o Ministério da Saúde.

“Dados publicados na revista The Lancet apontam que a infecção pelo HPV está entre as principais doenças sexualmente transmissíveis em todo o mundo, podendo afetar 80% da população”, alerta Luciana Clark, oncologista e diretora de comunicação cientifica da Evidências – Kantar Health.

Prevenção

No carnaval, campanhas de prevenção são intensificadas reforçando a importância do sexo seguro com o uso de preservativo - que não previne totalmente contra a doença já que pode ser transmitida pelo contato na região infectada - mas diminui o risco de infecção de 70% a 80%, segundo o Instituto do HPV. Porém, essa preocupação deve ser constante durante todo o ano. Pesquisas do Ministério da Saúde apontam que 50% das pessoas usam camisinha em relações ocasionais e 20% nas relações com parceiros fixos.

LEIA MAIS: SUS começa a distribuir vacina contra o HPV para meninos

Outro fator importante para prevenção é a vacina contra o HPV disponível desde 2015 pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em todo o Brasil para meninas e meninos de 9 a 13 anos de idade. De acordo com o Ministério da Saúde, a procura pela vacina ainda é considerada baixa, já que apenas 44% da população foi imunizada na segunda dose, sendo a meta do governo atingir 80% do público-alvo.

Além de questões como prevenção e vacina, informação e cuidados sobre a doença são fatores determinantes para reduzir o número de casos no mundo.

Saiba mais sobre a campanha de vacinação neste link.

Filtrar
Newsletter

Assine nossa Newsletter para receber notícias e informações da Evidências.

Veja também