Estudo da Evidências – Kantar Health recebe prêmio entre melhores trabalhos em Congresso Brasileiro de Asma

Estudo da Evidências – Kantar Health recebe prêmio entre melhores trabalhos em Congresso Brasileiro de Asma

Um estudo da Evidências – Kantar Health recebeu o prêmio TOP 10 entre os melhores trabalhos apresentados durante o XI Congresso Brasileiro de Asma, VII Congressos Brasileiros de DPOC e Tabagismo e Pneumoceará 2017. O pôster “RESPIRA: Impacto da asma sobre a qualidade de vida de pacientes adultos e sobre o uso de recursos da saúde no Brasil” foi produzido por Eloisa Moreira, diretora de Pesquisa Clínica e Guilherme Julian, especialista de Pesquisa Clínica da Evidências – Kantar Health e também em parceria com a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo e um cliente.

O congresso aconteceu no início de agosto e teve como objetivo apresentar e debater os últimos estudos sobre diagnóstico e tratamento de doenças respiratórias e contou com a participação de vários profissionais da saúde, como pediatras, nutricionistas, fisioterapeutas, cardiologistas dentre outros.

O estudo avaliou o impacto da asma relacionando a produtividade de adultos brasileiros, assim como no uso de recursos da saúde. No Brasil, a asma afeta mais de seis milhões de pessoas e medir a carga do diagnóstico, a adesão aos tratamentos utilizados, a percepção dos pacientes e até o planejamento de políticas de saúde são fatores importantes para a qualidade de vida de quem sobre com a doença.

O pôster teve como base o National Health and Wellness Survey (NHWS), uma pesquisa da Kantar Health que incluiu cerca de 12.000 indivíduos da população brasileira, utilizando dados autorreportados para avaliação de diversas doenças na população. A avaliação de fatores como bem-estar, qualidade de vida e psicossociais é de grande importância no processo de tomada de decisão em saúde, uma vez que a ênfase do tratamento é do paciente.

Veja também a matéria sobre o dia mundial de combate à asma 

“Em nossos resultados, constatamos que pessoas com asma, quando comparados a pessoas não asmáticas, apresentam uma qualidade de vida pior, maior número de hospitalizações e visitas de emergência nos seis meses que antecederam a pesquisa. Além disso, os pacientes com asma apresentam menor rendimento geral no trabalho e em atividades cotidianas”, analisou Julian, um dos autores do estudo. “Com relação a maneira e a frequência que a pessoa está tomando o medicamento, menos de um terço dos pacientes (32,4%) apresentaram completa adesão ao tratamento”.

Julian destaca a contribuição no avanço da pesquisa aos pacientes que sofrem com a asma e a satisfação de ter o estudo premiado. “Foi bastante gratificante termos o reconhecimento de um trabalho voltado para dados autorreportados no congresso nacional de asma, pois, assim podemos iniciar melhor uma discussão para dar mais voz aos pacientes, além de identificar possíveis necessidades médicas não atendidas”. 

Por equipe Evidências

23/08/2017

Filtrar
Newsletter

Assine nossa Newsletter para receber notícias e informações da Evidências.

Veja também