Diabetes afeta mais as mulheres do que os homens

Diabetes afeta mais as mulheres do que os homens

Nos últimos dez anos, o número de brasileiros com diabetes passou de 5,5% para 8,9%. Deste total, as mulheres apresentam maior índice comparado aos homens (9,9% para 7,8%), segundo a pesquisa Vigitel Brasil, realizada pelo Ministério da Saúde. E hoje, no Dia Mundial do Diabetes, a campanha de 2017 tem como tema “Mulheres e Diabetes: nosso direito a um futuro saudável”, o que chama a atenção não só para a importância da prevenção quanto para a educação nos cuidados dos pacientes que sofrem com a doença.

Foco nelas

Um artigo publicado pelas universidades Oregon State University e Bellarmine University, nos EUA, analisou mais de mil indivíduos comparando a prevalência de fatores de risco para doenças metabólicas (dentre elas o diabetes) em ambos os sexos e concluiu que, as mulheres tinham o acesso de atividade física reduzido comparado aos homens, o pode aumentar os riscos de incidência da doença. Ricardo Saad, analista de farmacoeconomia da Evidências – Kantar Health alerta, “O diabetes é considerado uma doença invisível, pois os sintomas podem aparecer apenas em estágios mais avançados, como por exemplo, através de complicações, principalmente cardiovasculares”. Outro levantamento feito pela Vigitel em 2014 aponta que 41,2% dos homens praticam algum exercício no tempo livre e somente 27,4% das mulheres fazem o mesmo.

Também para algumas mulheres pode ocorrer o diabetes mellitus gestacional (DMG), que é a intolerância aos carboidratos diagnosticada pela primeira vez durante a gestação e que pode ou não persistir após o parto. É comum ocorrer entre 3% a 25% das gestações.

Além disso, é importante lembrar que as mulheres tendem a realizar exames e consultas médicas com mais frequência que os homens, isso é o que mostram os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios do Instituto Brasileiro de Geografia e estatística (IBGE) e a pesquisa Saúde, Bem-Estar e Envelhecimento da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas). A consequência dessas atitudes do sexo masculino é que eles têm mais problemas de saúde e vivem menos, o que pode ser determinante no cálculo de pesquisas da população.

Qualidade de vida

De todo modo, a conscientização por uma rotina saudável tem que ser para ambos os gêneros. Bons hábitos, por mais clichê que pareça, são de importância crucial na prevenção de doenças, inclusive do diabetes. “Quando falamos em prevenção é necessário destacarmos que algumas medidas são facilmente aplicáveis, como mudanças em hábitos de vida. É importante manter a prática de atividades físicas e uma alimentação rica em vegetais e pobre em gorduras”, destaca Luciano Paladini, médico analista da Evidências – Kantar Health. 

Dia mundial do Diabetes

A data foi criada em 1991 pela Internation Diabetes Federation (IDF) em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS). O dia 14 de novembro corresponde ao aniversário de Frederick Banting que juntamente com Charles Best, deu origem aos estudos da insulina no ano de 1921.

Filtrar
Newsletter

Assine nossa Newsletter para receber notícias e informações da Evidências.

Veja também