Dia mundial do sono destaca mudanças de hábitos que ajudam a dormir melhor

Dia mundial do sono destaca mudanças de hábitos que ajudam a dormir melhor

Dormir pode não ser uma tarefa tão fácil para alguns e por vezes acaba ficando por último na lista de outras funções que precisam ser realizadas no dia a dia corrido, mas não se pode negar sua importância para o equilíbrio da qualidade de vida e o bom funcionamento do nosso cérebro e corpo. “Na sociedade em que vivemos, onde o tempo e a qualidade do sono estão cada vez mais prejudicados, vale lembrar que o sono é tão importante quanto realizar atividade física ou ter uma alimentação saudável, sendo parte fundamental da boa saúde”, ressalta Guilherme Julian, especialista de Pesquisa Clínica da Evidências – Kantar Health.

Insônia e disturbios do sono afetam cerca de 40% dos brasileiros, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). E no ranking de quem dorme menos, o Brasil está em terceiro lugar no mundo, perdendo apenas para o Japão e Cingapura, de acordo com uma pesquisa realizada pela revista Science Advances em 2016.  Em média, os brasileiros dormem 7h  e 30 minutos por noite. Mas mais importante que a quantidade de horas, é a qualidade de uma noite dormida. 

Hoje, dia 16 de março é comemorado o Dia Mundial do Sono, data criada pela Sociedade Mundial do Sono (WSS) com o objetivo de conscientizar sobre a importância de se dormir bem e sobre os distúrbios do sono. A campanha desse ano tem como tema o slogan 'Join the Sleep World, Preserve Your Rhythms to Enjoy Life' ("Junte-se ao mundo do sono, preserve seus ritmos para aproveitar a vida") , com o objetivo de enfatizar a importância de se respeitar o ritmo circadiano, ou seja, o ritmo biológico de quase 24 horas que cada ser vivo possui e que sofre alterações externas como a luz, temperatura e horários e que afetam diretamente no sono saudável.

Para Julian, bons hábitos relacionados ao ato de dormir devem ser sempre seguidos, mantendo a chamada higiene do sono. “Alguns hábitos podem ser evitados como longos cochilos à tarde, agentes estimulantes (chocolate, café, chá, cigarro) e o uso de álcool (beber pode até parecer um bom indutor de sono, de fato, mas atrapalha na qualidade geral do sono e na quantidade de sono do tipo REM, importante para manutenção da memória, e outras funções desde o funcionamento do sistema imune até outras funções do sistema nervoso central)”.

Além disso, Julian destaca a importância de treinarmos nosso corpo ao momento de dormir. “Para pessoas insones, é importante já ir relaxando antes de deitar, evitar atividades físicas, tentar não pensar em problemas/preocupações, utilizar o quarto apenas para o momento de dormir, evitando outras atividades como trabalhar, comer, etc.; e não use luz excessiva à noite, principalmente pouco antes de adormecer, e isso inclui luzes da TV e smartphones”.

Quer saber mais sobre o sono? Veja a matéria completa aqui!

Filtrar
Newsletter

Assine nossa Newsletter para receber notícias e informações da Evidências.

Veja também