Aplicativos auxiliam no dia a dia da mulher

Aplicativos auxiliam no dia a dia da mulher

O uso de aplicativos cresce a cada dia. Prova disso é que o Brasil está em terceiro lugar no ranking de países que mais fazem downloads no mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos e da China, segundo relatório realizado pelo site AppAnnie, responsável por análise de mercado de aplicativos. E em meio a esse crescimento, os aplicativos voltados às mulheres estão se tornando cada vez mais presentes. Atualmente existem diversos dispositivos no mercado, desde os que monitoram glicose, Índice de Massa Corporal (IMC) até os que controlam o desempenho de corridas, alimentação, finanças e enviam pedido de socorro em alguma situação de emergência.

Para as grávidas, por exemplo, existem apps que auxiliam a ter uma melhor nutrição e aqueles que ajudam a acompanhar o desenvolvimento do bebê, permitindo anotar registros importantes e até mesmo a montar o enxoval. Também existem aplicativos voltados à reforma da casa, em que é possível encontrar profissionais, fazer cotação de serviços e produtos e compartilhar experiências.

Para Laura Goes, médica analista da Evidências – Kantar Health, os aplicativos são práticos e auxiliam nas atividades do dia a dia. “São de fácil manuseio e acesso, podendo ser consultados a qualquer momento, e com isso não precisamos ficar preocupadas com bilhetinhos que vamos deixando pela casa, ou se a pílula foi tomada ou não, ou sobre itens do supermercado que esquecemos de comprar”.

Saúde

Muitos são os benefícios que os aplicativos de saúde procuram oferecer para melhorar a qualidade de vida. Um bom exemplo é o FIQr, que ajuda a monitorar pacientes que sofrem de fibromialgia, com um questionário que deve ser respondido uma vez por semana e enviado ao e-mail do médico, assim como o SkinVision que através da câmera do celular, é possível registrar lesões da pele e encaminhá-las para análise imediata.

Sem contar a grande a variedade de ferramentas que vão desde o controle da pressão arterial e do ciclo menstrual até o desempenho de dieta e corridas. “Os apps são diversos e para todos os gostos e maneiras. Realmente acho que ajudam. É só procurar, que você vai achar um que se encaixe à sua necessidade diária”, analisa Góes.

Moda

Há também uma série de aplicativos voltados à moda. Desde o Who What Wear (quem veste o quê) que bem ao pé da letra, ajudar a descobrir o que vestir, até o Stylebook, que permite tirar fotos das suas roupas e montar combinações. Além de diversos apps de lojas como Gucci, Dior e também os que te ajudam a ficar informada sobre os principais desfiles no mundo.

SOS

Mas nem só de moda e tarefas vive o mercado de aplicativos voltados às mulheres. Alguns foram criados pensando na segurança no caso de alguma situação de violência.  No Brasil, a cada 11 minutos uma mulher é estuprada, segundo pesquisa realizada pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP).

Pensando nisso, duas ONG´s criaram o PLP 2.0, que permite às usuárias solicitarem ajuda a uma lista de pessoas cadastradas e serve como localizador quando acionado. Além dele, o aplicativo 180 criado pela Secretaria de Políticas para Mulheres do Governo Federal, e o Chega de Fiu Fiu, criado pelo site ThinkingOlga, que sinaliza os pontos de maior risco no mapa. 

Filtrar
Newsletter

Assine nossa Newsletter para receber notícias e informações da Evidências.

Veja também